Todo mundo entende o básico sobre o marketing conversacional: trata-se de uma estratégia que visa otimizar os relacionamentos com os clientes ao dinamizar o processo comercial e promover experiências personalizadas, humanizadas e relevantes.

Mas, para entender todo seu potencial estratégico, é essencial ir mais além, misturando seus conceitos com as tendências do mercado e aprendizado contínuo das necessidades dos clientes de um negócio.

Quer saber como fazer isso? Leia mais neste post sobre marketing conversacional, suas soluções mais eficientes e como aplicá-lo em seu negócio para potencializar seus resultados.

Essência do marketing conversacional

Se o conceito de marketing conversacional já está bem assimilado, o próximo passo é entender que é possível atingir diferentes objetivos com ele, e tudo isso graças à tecnologia. O chatbot da Intelichat, por exemplo, traz diversas funcionalidades para a promoção de conteúdos interativos em um bate-papo com o cliente.

Nada de textos massivos, frios, ou etapas demoradas, como preencher um formulário para ser atendido, que obrigam o potencial cliente a sair de sua jornada de decisão.

Quais as percepções que esse processo poderia causar? Que a empresa é pequena, não possui um bom suporte de atendimento ou capacidade para atender demandas maiores. Ou que ainda é muito burocratizada ou até mesmo que esse procedimento foi criado para encontrar maneiras de aumentar seus lucros em uma possível negociação.

Com um chatbot, a conversa pode ser conduzida no exato momento que o potencial cliente precisa da informação, e sua proposta pode ser configurada ali mesmo, já que o chatbot usa a inteligência artificial para analisar um banco de dados e tomar direcionamentos a partir de regras previamente estabelecidas.

Benefícios da utilização do marketing conversacional aliado ao chatbot

Quando a discussão gira em torno da adoção de um chatbot, muitos acreditam se tratar de uma tecnologia cara e acima das necessidades do negócio. Para a Intelichat, o discurso é outro: #chatbotparatodos.

Isso se deve aos benefícios que ele, junto ao marketing conversacional, é capaz de trazer. Se o investimento traz retornos na redução de custos e aumento das conversões, está mais que justificado, certo? Mas ainda tem mais. Vejamos os benefícios de adotar essa estratégia.

Agilidade no atendimento

Um dos primeiros pontos sobre o marketing conversacional que precisa ser mencionado é a agilidade. Se o cliente está navegando nas redes sociais ou no e-commerce de uma empresa, pode, dali mesmo, tirar suas dúvidas. Isso é agilidade.

Ao prosseguir seu contato e ter uma estrutura de conversação alinhada e personalizada de acordo com seu perfil, vai resolver suas dúvidas mais agilmente. Por consequência, com economia de tempo proporcionada pela eficiência, o ciclo de venda também será reduzido — um benefício percebido, dessa vez, pela empresa.

Ou seja, o marketing conversacional ajuda na configuração dos atendimentos, reduzindo o tempo de execução, aumentando sua eficiência, e, por consequência, a conversão.

Qualificação e seleção de leads

O marketing conversacional está presente em todas as etapas da jornada do cliente, e, portanto, contribui para a qualificação e seleção de potenciais clientes, também chamados de leads, que serão trabalhados pelo setor de marketing e vendas.

Ao interagir e perceber a reação dos leads, a base de dados dos chatbots ajuda a identificar a propensão para a compra. Assim, aqueles qualificados como ótimo podem ser direcionados para ações mais diretas. Já com relação aos demais, é possível selecioná-los e organizá-los para outros tipos de interação, como uma lista segmentada para ofertas específicas.

Aumento da produtividade do time de vendas

Ao otimizar a qualificação e nutrir os leads com informações úteis em sua tomada de decisão, o marketing conversacional também ajudará a melhorar o desempenho do time de vendas.

Encontrando potenciais compradores já conscientes dos valores dos produtos e serviços oferecidos pela empresa, o índice de conversão será muito maior, o que otimizará o tempo dos vendedores e permitirá que eles dediquem mais tempo ao relacionamento e à estratégia do momento. 

Personalização do atendimento

Outro benefício indiscutível dessa estratégia é a personalização do atendimento. Como dito, conteúdos frios, massivos e impessoais não engajam. Por outro lado, aqueles que promovem interação e experiências humanizadas são muito mais eficientes para o negócio.

Caminhos para viabilizar a utilização do marketing conversacional

Considerando todos esses benefícios e a possibilidades que o marketing conversacional proporciona, como colocá-lo em prática dentro da dinâmica do mercado atual?

Uso dos chatbots

Comentamos sobre os chatbots, e essa ferramenta é essencial para essa estratégia. Eles conseguem gerenciar atendimentos simultâneos, o que reduz custos operacionais, além de serem configurados para analisar o contexto e seguir as regras de sua base de dados para realizar as conversações.

Em resumo, eles proporcionam atendimentos personalizados em escala, garantindo redução de despesas com recursos humanos. Também garantem que os serviços de suporte ao cliente sejam realizados 24 horas por dia, durante toda a semana, se a empresa quiser.

Humanização e personalização do atendimento

Pensar que um robô será capaz de humanizar uma interação parece absurdo no primeiro momento. Porém, existem dois pontos a serem considerados:

  • a maioria dos conteúdos ofertados para os clientes são estáticos e não permitem interação imediata;
  • o uso de fontes de dados adicionais aos chatbots permite alto nível de personalização, além, é claro, da criação de uma linguagem e padrão de atendimento que esteja em sintonia com os valores da empresa.

Com os chatbots e o marketing conversacional, as interações podem ser realizadas em tempo real, de forma personalizada, o que, de forma comparativa, é muito mais humanizado e relevante em experiência.

É possível utilizar o marketing conversacional nas redes sociais, sites da empresa e até mesmo aplicativos, sempre conduzindo a interação de acordo com as necessidades do lead.

Um aplicativo que promova conteúdos sobre gestão financeira pessoal, por exemplo, pode usar o marketing conversacional para trazer informações que ajudem o potencial cliente a entender quais soluções de investimento são mais adequadas para seu perfil.

Então, finalmente, propor uma consultoria ou plano de investimentos de uma corretora. A sugestão não é muito mais relevante e personalizada? Esse é o mecanismo de sucesso do marketing conversacional.

Quer saber como o Intelichat pode entregar conteúdos e experiências mais relevantes aos seus clientes? Converse com um de nossos consultores, de forma interativa, e entenda por que trabalhamos com a premissa #chatbotparatodos.