Contar histórias sempre foi uma estratégia dos negócios para promover seus produtos e marcas, então, porque agora ficou tão importante saber como fazer um storytelling?

Se você já se fez essa pergunta, talvez fosse importante entender o que é e, principalmente, qual o objetivo, tendências em sua aplicação e resultados que um storytelling pode trazer para o negócio.

Por esse motivo, criamos este post para explicar seu efeito sobre as vendas e como os chatbots são essenciais para consolidar as vendas da empresa. Confira!

O que é storytelling?

Transmitir uma informação ou conhecimento de forma embasada tem muito mais chances de absorção do que entregue de forma apática e distante.

Essa é a força do storytelling, pois ele usa histórias para envolver o público e fazê-lo influenciado pela mensagem transmitida, seja por sua forma básica de citação de benefícios ou, então, pelo despertar da consciência de algumas dores e sentimentos vivenciados naquela experiência.

Um chatbot, por sua vez, é um robô de inteligência artificial capaz de realizar transações e usar análises para criar contatos mais satisfatórios operacionalmente e também na visão dos clientes.

E então, a junção desses dois poderia emocionar e criar um engajamento genuíno de seus clientes? Nós, da Intelichat, acreditamos que sim, uma vez que desenvolvemos justamente os chatbots que usam a base de dados para personalizarem suas interações de acordo com as necessidades do seu público-alvo.

Em suma, personalizar um contato ou fazer dele a história de superação de um problema do cliente é a mesma coisa.

Qual sua importância para o sucesso das vendas?

Os chatbots reconhecidamente trazem eficiência operacional escalando as interações com os clientes, ou seja, garantem que dois ou mais possam ser atendidos pelo mesmo sistema sem a necessidade de ampliar recursos humanos ou infraestrutura.

Também otimizam as interações ao passo que sua base pode ser analisada para antecipar as necessidades dos clientes e, inclusive, fazer ofertas mais alinhadas com cada perfil.

Porém, um elemento que está diretamente ligado ao engajamento dos clientes precisa ser trabalhado nesse tipo de ferramenta: a humanização do contato.

Nesse momento, o uso de storytellings é determinante. Isso porque sua estrutura conta com um personagem, um desafio ou dor a ser vencida, um elemento que traz a solução e o desfecho satisfatório.

Esse enredo, naturalmente, é igual ao de um cliente que está precisando de um produto ou serviço que solucione um problema, encontra um mentor ou vendedor que lhe oferece a solução ideal e, depois de usá-la, tem sua necessidade atendida.

Ou seja, o chatbot e as regras que ele seguirá para realizar o atendimento promoverão uma conexão com o cliente, que se sentirá no papel central daquele enredo.

Além da associação, outro aspecto que torna o uso de storytelling nos chatbots extremamente vantajoso é a experiência proporcionada no atendimento. Ela une a eficiência, já que as regras que regem o robô mitigam as falhas e promovem agilidade no serviço, com uma linguagem personalizada e engajadora que gera a conexão imediata.

Como fazer um storytelling eficiente com chatbots?

Como fazer um storytelling eficiente considerando que o público-alvo é bem instruído e sabe diferenciar um atendimento humano de um robotizado? Simples, surpreendendo de forma criativa e inovadora. A seguir, listamos o que um bom planejamento precisa contemplar para colocar isso em prática.

Defina um personagem

Uma das fórmulas mais conhecidas do storytelling é a jornada do herói, em que o personagem enfrenta seus dilemas para no final, prosperar.

Existem outros enredos, mas um item essencial é quem conduzirá a história, por isso, ao usar o chatbot, é preciso criar um personagem que será responsável por ele. Pode ser a representação de um vendedor ou, até mesmo, um conselheiro que transmita autoridade.

Em um canal de atendimento de uma loja de ferragens, por exemplo, um personagem para o chatbot poderia ser um marceneiro. Em uma escola EAD de reforço escolar, um boneco que represente Albert Einstein seria uma ideia interessante.

Escolha a linguagem mais apropriada

Para dar mais humanização, as interações devem ser o mais humanizadas possíveis, mas no caso do uso do storytelling, o nível de personalização dos diálogos deve ser ainda maior.

Dessa forma, é preciso definir o tipo de linguagem que está mais associada com o perfil do público, e até algumas expressões específicas do personagem. Ele precisa adquirir uma identidade que seja cativante e única.

Determine a estrutura da história que conduzirá o atendimento

Toda história deve ter início, meio e fim, e isso fica mais evidente no caso dos atendimentos. Os bots, então, precisam ser configurados para criarem abordagens iniciais, oferecerem as soluções conforme a necessidade apresentada para o cliente e concluírem o contato com sucesso, seja pedindo um feedback sobre o serviço ou dando um prazo para a realização do que foi solicitado.

Essa estrutura da história também deve ser similar aos dos demais canais para que os princípios da omnicanalidade, ou seja, integração e mesmo padrão de atendimento, sejam preservados.

Use a base de dados para humanizar o atendimento do chatbot

Se é preciso fazer com que o cliente se identifique com a história, usar o sistema de gestão de clientes para identificar necessidades e tendências de consumo são ações estratégicas fundamentais.

É preciso lembrar que existem diferentes tipos de chatbots, eles podem ser empregados de diferentes maneiras, inclusive em ações proativas, como a oferta de upselling ou cross selling de produtos, que consiste basicamente em oferecer melhorias ou serviços acessórios ao que o cliente já possui.

Também é importante ter em mente que todo o atendimento precisa ser constantemente analisado e melhorado, pois eles precisam estar em sintonia com as novas demandas e exigências dos clientes — e, até mesmo para essa pesquisa de satisfação os chatbots podem entrar em ação a partir de uma régua de relacionamento.

Nesse caso, uma sequência de contatos programados são feitos pelo chatbot a partir do último contato. E-mail, mensagens de SMS e demais tipos de interações e conteúdos são feitos para questionar o cliente se ele ficou satisfeito, se ainda restaram dúvidas, se é possível ajudar em mais algum aspecto, entre outros.

Adivinha só? Todas essas etapas também podem ser configuradas com um bom storytelling, basta que seu enredo seja bem estruturado pela empresa e utilize os canais mais adequados para cada mensagem ou interação.

Agora que ficou mais fácil entender como fazer um storytelling, gostaria de implantar essa estratégia por meio de chatbots na sua empresa?

A Intelichat tem as melhores soluções e acompanhamento para seu projeto. Entre em contato com um de nossos especialistas e saiba mais!