Quando a Rock Content surgiu no mercado, pouco se sabia sobre a estratégia de marketing de conteúdo que ganharia o mercado — as referências eram, quase em sua totalidade, estrangeiras.

O ano era 2013 e os futuros fundadores da Rock Content atuavam no mercado por outras empresas, mas, paralelamente, desenvolviam seus projetos na área de marketing de conteúdo. Um início generosamente cauteloso e típico para empresas que, aos poucos, surgem de forma disruptiva.

Dois deles, Edmar Ferreira e Diego Gomes, apostavam em um software de Search Engine Optimization (SEO), enquanto Vitor Peçanha estava em terras chilenas tentando tirar do papel um marketplace de escritores freelancers.

Era óbvio demais que essas duas ideias se complementavam e podiam, juntas, dominar o mercado que ainda estava nascendo no Brasil. Mas o entendimento de seus benefícios ainda era um dos grandes desafios que a recém-criada Rock Content precisaria enfrentar.

Naquele cenário, formas tradicionais de fazer marketing ainda eram as mais utilizadas, ou seja, propagandas que interrompiam o público e estavam sempre valorizando as vantagens dos produtos reinavam em todos os canais, inclusive os digitais.

Paralelamente, o algoritmo do Google, que define a ordem com que os resultados da pesquisa serão apresentados, ainda estava em suas primeiras versões, mas já mostrava a importância da experiência do usuário, punindo conteúdos que tivessem contestações autoriais, por exemplo.

Então, a empresa precisava:

  • conquistar clientes que ainda não entendiam a importância do marketing de conteúdo;
  • vencer os desafios financeiros comuns das empresas nos primeiros anos de vida;
  • dominar uma de suas principais ferramentas e tornar aquilo escalável para conseguir suportar novos clientes com a mesma estrutura enxuta.

A solução, que não poderia ser diferente, seria investir em conteúdo de qualidade.

Estratégia de marketing de conteúdo utilizada pela empresa

O marketing de conteúdo é baseado na construção de materiais e informações relevantes para um público de forma direcionada. Ou seja, a oferta de conteúdo em forma de um funil de marketing permite que o leitor descubra a existência de um problema, quais as formas de solucioná-lo e os diferenciais dos produtos ou serviços de uma empresa para ajudá-lo.

Tudo isso sem invadir ou roubar a atenção, mas, sim, fazendo com que o conteúdo seja a principal atração para convencer o público de que ele precisa daquele determinado produto ou serviço.

Fortalecimento do blog como canal de marketing

Se esse era o serviço da Rock Content, ela precisava aplicar esses conceitos em seu próprio público para converter e convencer de que o marketing de conteúdo era o melhor caminho.

E, nesse momento, o blog da Rock Content se tornou ainda mais essencial para a estratégia, publicando conteúdos internos e com sua base de freelancers de redação, para provar importância e mostrar que o conceito do negócio era o ideal para trazer resultados para seus clientes.

Ataque às hashtags mais relevantes

Fortalecer o blog e nutrir o mercado sobre a importância do marketing de conteúdo fez com que a empresa conscientizasse seu público-alvo sobre seus benefícios, considerando, inclusive, sua relação entre custo e benefício. Mas também era necessário dominar as ferramentas do mercado para que esse modelo e estratégia pudessem ser transmitidos como soluções do negócio para seus clientes.

Dessa maneira, ações para identificar quais hashtags e termos de pesquisa no Google eram mais importantes para seu mercado e a busca por estar melhor ranqueada nelas passaram a ser uma estratégia constante a partir do ano de 2015.

Capacitação da sua base de freelancers

Além do blog Marketing de Conteúdo, a Rock Content ainda tem outros 3 endereços para compartilhar conhecimento, capacitar seus colaboradores e freelancers. Apesar de ser uma estratégia indireta, foi determinante para que a qualidade de seus conteúdos fosse garantida, oferecendo algumas certificações gratuitas e, posteriormente, criando a Universidade Rock Content.

Diversificação de seus conteúdos

A oferta de conteúdos para blogs e diagramação de conteúdos foi seu carro-chefe, além, é claro, da construção da estratégia de marketing que envolvia sua produção. Mas, com as novas necessidades do mercado, novas linhas de produção foram incluídas considerando a demanda de criar conteúdos em diferentes formatos e plataformas.

Nesse momento, formatos como os infográficos, e-mail marketing e newsletter também entraram no portfólio do negócio. Em 2018, também foram incluídas transcrições de áudios e roteirização de vídeos para atender às novas demandas do mercado.

O negócio, então, estava bem estruturado e com suas bases fortificadas, principalmente depois que trouxeram Matt Doyon, ex-executivo da Hubspot, para o time de sócios e colocaram sob sua responsabilidade o setor de vendas. Mas os desafios, é claro, não acabam. Apenas mudam e exigem que os negócios permaneçam inovadores e ágeis para acompanhar as atualizações do mercado.

De 2013 até hoje, as redes sociais como Facebook, Instagram e Youtube ganharam mais destaque, os vídeos ficaram mais relevantes e os algoritmos dos Google trouxeram novos desafios para a empresa, e assim continuará ocorrendo, tendo em vista que vivemos a era da Transformação Digital.

Novos desafios do marketing digital e suas soluções

As relações comerciais estão migrando para o mundo virtual em uma grande velocidade. Assim como a Rock Content, as empresas de diferentes setores precisam se adaptar às novas necessidades dos clientes. É preciso buscar meios de otimizar as interações, mas, ao mesmo tempo, garantir que elas proporcionem uma ótima experiência aos usuários, o que, mais uma vez, envolve a qualidade dos conteúdos e ferramentas inovadoras.

Chatbots, por exemplo, garantem o atendimento simultâneo de diversos clientes, seja em canais próprios, seja nas redes sociais. Podem usar suas bases de dados previamente cadastradas ou aprender com cada interação realizada. Em seus contatos, gera-se uma base de conhecimento que pode ser aplicada ao negócio e promover melhorias nos serviços, personalizando e suprindo ainda mais as necessidades de seu público-alvo.

E as aplicações de um chatbot não param por aí. Eles têm diferentes características, daqueles com funcionalidades exclusivas de conversação aos que promovem transações de venda e garantem que, em um único contato, todas as demandas de um cliente sejam atendidas.

Sua interatividade ainda vai além, permitindo que a empresa aplique formulários de pesquisa de satisfação com imagens, faça envio de links externos para complemento de uma explicação e, depois de amplas tentativas, direcione o contato para o atendimento humano.

A Transformação Digital traz novos elementos para o mercado e ferramentas como os chatbots estão completamente alinhadas à estratégia de marketing de conteúdo, uma vez que é essencial que as interações realizadas sejam relevantes e memoráveis.

A Rock Content tem provado ser uma empresa atenta às tendências do mercado, corajosa para definir metas arrojadas e competente para superá-las em um curto espaço de tempo. Certamente não será diferente na era da Transformação Digital!

Está precisando encorajar outros empresários e profissionais para encarar o mercado em transformação? Então compartilhe agora mesmo esse conteúdo em suas redes sociais e não deixe de marcá-los.