Antes de mais nada, quais os pilares de um conteúdo interativo e o que o faz tão poderoso? A resposta, em meio à competitividade pela atenção dos clientes em variados canais, está em seu potencial de engajamento.

Um conteúdo interativo é aquele produzido com qualidade de informação e com gatilhos e intervenções que fazem com que o público interaja e ofereça insights sobre suas necessidades e valores. Dessa maneira, também proporciona o fortalecimento do relacionamento com o cliente por meio de experiências e interações memoráveis, uma das maneiras mais efetivas de conquistar e fidelizar um público.

Quer saber como criar e promover conteúdos interativos? Neste post trazemos algumas dicas práticas. Confira!

Aposte na gamificação

A gamificação é uma estratégia utilizada em diversas áreas da comunicação, treinamento e psicologia empresarial que aplica os conceitos e regras de um jogo para direcionar e motivar as ações de um indivíduo ou público. Assim, criar uma sequência de conteúdos com regras que determinem diferentes rumos e performances pode engajar e fazer com que o público interaja até chegar ao que foi planejado pela empresa.

Um exemplo simples e eficaz para essa estratégia é a utilização de códigos ou charadas a cada publicação realizada por uma empresa. O cliente ficará envolvido com a expectativa da próxima interação, acompanhará a evolução da trajetória a cada nova postagem e sentirá prazer em participar e concluir toda a jornada.

O mesmo pode ser aplicado para o volume de informações que um potencial cliente fornece para um chatbot ou sistema da empresa que seria convertido em uma pontuação, indicando a partir dela que o serviço será cada vez mais diferenciado.

Invista em chatbots para criar conteúdo interativo

Chatbots são sinônimos de conteúdo interativo. Como podem usar a base de dados de uma empresa para personalizar a comunicação com os clientes, asseguram que o conteúdo sempre será relevante e envolvente. Além disso, garantem a escalada do atendimento ou abordagem de marketing, já que podem interagir com dois ou mais clientes simultaneamente e a qualquer momento.

Os chatbots podem ser configurados para terem uma linguagem e imagem que refletem os valores do negócio, o que também garante que todas as interações com os clientes transmitirão os diferenciais da empresa, seus produtos ou serviços.

Assim, é muito comum que eles sejam configurados na figura de um mascote ou personagem da empresa, recebam um storytelling que valide sua associação com a marca e, a partir daí, fortaleçam ainda mais os diferenciais que são valorizados pelo público.

É uma tecnologia em constante evolução, o que garante que suas ações sejam, cada vez mais, semelhantes àquelas realizadas pelos recursos humanos da organização e, ao mesmo tempo, executem atividades que somente máquinas e a inteligência artificial poderiam concluir, como é o caso de transações de vendas, análises de dados etc.

Um chatbot inserido em um e-commerce, por exemplo, pode usar os dados da navegação de um usuário para sugerir produtos que sejam do interesse de um grupo similar, que estejam disponíveis para determinada região e muito mais.

Entenda sua função para a geração da base de conhecimento

As interações realizadas com os clientes estão repletas de informações sobre seus comportamentos, que podem se perder se não forem devidamente registradas e tratadas. Nos chatbots, por exemplo, além da base de dados inicial, onde são colocadas as regras de atuação do bot, novos inputs são registrados durante todos os contatos. Essa coleta de informação é muito mais precisa, já que acontece em pontos cruciais do relacionamento comercial.

Essa base de dados que vai se formando, então, poderá contribuir para a personalização das futuras interações, otimização das estratégias comerciais, redução da jornada de compra, melhorias de treinamentos para as equipes e muito mais.

Use gifs animados para contextualizar as informações

Os gifs, vídeos curtos amplamente propagados em diversos canais de interação, são ferramentas ideais para promover interações. Como podem expressar reações e sentimentos, ajudam na transmissão do conteúdo para o leitor. Ou seja, mesmo em conteúdos majoritariamente textuais, um gif pode proporcionar a interatividade necessária para que a experiência da transmissão do conteúdo seja completa.

Eles têm um forte apelo informal e contextualizam assuntos que estejam em alta, como personagens, artistas e animações. Por esse caráter moderno, precisam estar compatíveis com o conteúdo a ser transmitido. Talvez um chatbot que esteja disponível para atendimento de clientes de um plano de saúde não deva utilizar gifs divertidos, pois eles podem ser inapropriados de acordo com o motivo do contato do usuário, por exemplo.

Insira barra de áudio para narrar conteúdos

Outro elemento de interação, que, além de tudo, também respeita a experiência do cliente com o conteúdo é a utilização de barras de áudio para sua transmissão. O recurso pode ser usado em diferentes canais, é considerado um elemento de acessibilidade e, além disso, garante que o público consuma o conteúdo em diferentes momentos.

Mecanismos de busca como o Google estão cada vez mais focados em privilegiar aqueles conteúdos que otimizem a experiência do usuário e tornem a informação mais acessível para todo o público. Dessa maneira, garantir que desde pessoas com limitações visuais até aquelas que não têm tempo para ler possam, ainda assim, ter acesso ao conteúdo pode ser determinante até mesmo para ganhar destaque em tais buscas.

O mesmo também pode valer para situações inversas, como a inserção de legendas em vídeos publicados em sites e Youtube, pois, em alguns casos, o usuário estará sem condições de ouvir, mas, ainda assim, terá interesse naquele momento.

Crie vídeos humanizados para tornar a abordagem mais natural

Criar vídeos também é uma aposta certeira para empresas que querem oferecer conteúdos mais interativos, e o motivo é óbvio: a transmissão por imagem combinada com som deixa a ideia muito mais clara para o público.

Isso é fortalecido ainda mais quando as diferentes mídias utilizadas e redes sociais apostam e desenvolvem ferramentas para reprodução de vídeos, online ou offline. Instagram, Facebook, e, claro, Youtube se destacam nesse movimento, assim como plataformas de ensino e empresas que aproveitam a ferramenta de vídeo para transmitir conteúdos de forma mais engajadora e prática.

Os vídeos ao vivo, inclusive, garantem que o público possa interagir em tempo real com a empresa, o que poderia ser considerado a máxima do conteúdo interativo, já que além de transmiti-lo, tal solução ainda permite que o locutor ofereça gatilhos e oportunidades para que o público faça perguntas e reaja ao que está sendo apresentado.

Porém, vídeos prontos e que tratam de um tema específico também podem ser utilizados de forma offline com sucesso. Uma empresa pode criar uma biblioteca visual com tutoriais sobre seus produtos e ferramentas, e toda vez que um cliente quiser tirar uma dúvida com o chatbot, pode receber durante a conversa a indicação do conteúdo.

Com tantos estímulos e interações nas redes sociais e demais canais de contato, um conteúdo interativo pode conquistar a atenção dos potenciais clientes, que está cada vez mais disputada. Para isso, é fundamental sempre inovar, tanto na produção das peças, como no uso de tecnologias como os chatbots.

Quer saber como eles podem contribuir ainda mais para os resultados do seu negócio? Então, assine agora mesmo nossa newsletter e receba conteúdos como este em sua caixa de e-mail!