aiPodemos resumir a inteligência artificial tomando como ponto de partida uma dentre inúmeras definições, que é genérica e abrangente ao mesmo tempo. Segundo a universidade de Stanford, inteligência artificial é a ciência e a engenharia de construção de máquinas inteligentes, mais especialmente programas de computador inteligentes. É relacionada a utilizar-se computadores para compreender a inteligência humana, em ações como aprender ou resolver problemas, por exemplo. É claro que essa definição é ilustrativa e simplificada, e muito mais poderia ser aprofundado. Em primeiro lugar, em relação ao que é inteligência em si, e também aos tipos de inteligência existentes.

Outro conceito genérico importante é que a Inteligência Artificial não é algo único, ou atômico. É composta de várias áreas, que incluem por sua vez técnicas e algoritmos diferentes. Alguns deles já são bem difundidos e utilizados em larga escala, como o reconhecimento de voz, por exemplo, no caso dos smartphones. Outra área de inteligência artificial que evoluiu bastante relaciona-se ao reconhecimento de imagens, como na identificação e reconhecimento facial ou mesmo na identificação de rostos em fotos.

Como o escopo desse post e desse blog são relacionados aos chatbots e assistentes virtuais, vamos explorar um pouco mais a inteligência artificial nesse domínio. Para a comunicação de humanos com robôs via chat, algumas áreas da Inteligência Artificial podem ser mais relevantes do que outras. Uma delas é conhecida pela sigla em inglês como NLP — Natural Language Processing (processamento de linguagem natural), que vem a ser a compreensão do que os humanos falam ou escrevem, para que o robô, compreendendo adequadamente o que o usuário precisa, tome alguma decisão ou ação. NLP esstá relacionada à compreensão da linguagem natural utilizada por humanos, que tem a ver geralmente com análise semântica; o mais importante a destacar nessa área é que as técnicas aplicadas devem extrair a intenção do usuário e a respectiva entidade relacionada a ela.

Ainda dentro dessa área de linguagem, pode ser utilizada a análise de sentimento, para verificar se o contexto de sentimento do usuário é positivo, negativo ou neutro — o que é muito utilizado para detectar satisfação ou insatisfação.

Outra técnica que pode ser bastante explorada é relacionada a análise e decisão, como em árvores de decisão ou tabelas de decisão, ou ainda algoritmos de ‘graphos’ — usados de uma forma ou outra para definir qual decisão e qual ação serão tomadas pelo bot para atender a uma necessidade do usuário. Quanto ao “aprendizado” dos robôs, geralmente é baseado em algoritmos de redes neurais, tendo evolução muito rápida em áreas como Machine Learning (aprendizado de máquina) e Deep Learning (aprendizado aprofundado).

Como se viu, são inúmeras áreas técnicas, ainda que tenham sido citadas somente algumas. Sem entrar em detalhes sobre cada uma, é importante destacar que cada tipo de problema ou necessidade pode ser resolvido com uso de alguma técnica ou algoritmo de Inteligência Artificial que seja adequado.

Com isso, surge uma questão importante, que muitas vezes gera confusão ou até mal-entendidos. Todo chatbot usa Inteligência Artificial?

Em outro post tratamos e exploramos mais a fundo essa questão.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.